sábado, 15 de dezembro de 2012

6 meses depois..

 Oi gente!

 As coisas aqui estão muito complicadas, desde que cheguei na Califórnia nunca consegui atualizar o Blog, mas prometo voltar com tudo esse mês ainda, contando tudo que passei desde o meu rematch.

 Hoje completo 6 meses como Au Pair nos Estados Unidos, só voltei pra postar uma música que traduz tudo que estou sentindo nesse momento. Enjoy:

 "What have I done, wish I could run away from this ship going under.
Just trying to help, hurt everyone else.
Now I feel the weight of the world is on my shoulders.
What can you do when your good isn't good enough and all that you touch tumbles down?
Cause my best intentions keep making a mess of things, I just wanna fix it somehow.
But how many times will it take for me to get it right?
Can I start again with my faith shaken? 
Cause I can't go back and undo this, I just have to stay and face my mistakes, but if I get stronger and wiser I'll get through this.
So I throw up my fist, throw a punch in the air and accept the truth that sometimes life isn't fair.
Yeah I'll send out a wish!
Yeah I'll send up a prayer!
And finally someone will see how much I care!"



Get it right!


I'll be back soon!
See you,
Bela.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

#17 Hello, Califórnia!


 Oi gente!

 Finalmente estou em Coronado!

 Depois de quase 10h de viagem, cheguei na Califa. Tive um voo tenso ao deixar a Flórida, com muita turbulência, o que me deixa completamente assustada.

 Ao olhar pela janela, enquanto o avião levantava voo, senti uma lágrima escorrer pelo meu rosto e um aperto no coração. Por um momento quis descer, e correr pra abraçar meu baby novamente, mas aí me toquei de que ele não era mais meu baby e que uma nova jornada me esperava.
 Tudo que eu desejava naquele momento, era segurar na mão da minha mãe e deitar no seu colo até me acalmar, mas eu estava sozinha.
 Elevei meu pensamento até me acalmar e, finalmente, consegui dizer adeus a Palm Beach County!

 Fazendo jus a minha bela memória, esqueci de colocar um livro dentro da mochila, então passei o primeiro voo inteiro acabando com a bateria do meu iPhone.
3 horas de voo e aterrissei em Dallas, com muito sono e fome fui direto pra Starbucks mais próxima enganar o estômago e adiar o sono.
Fiquei esperando lá durante 3 longas horas até o próximo voo.

 Após embarcar no avião, a minha host havia marcado a poltrona do meio, a única que havia sobrado eu acredito, já que o avião estava LOTADO!
 E aí começou minha tragédia, além de estar sentada no meio, ao meu lado esquerdo tinha uma mina doida e ao lado direito um tio até simpático.
 Mas pq tragédia? Bom, alguns segundos após o avião decolar, a mina colocou seu fone de ouvido no último volume, me atrapalhando a dormir ou até mesmo pensar, com seu rock quebra guitarra! Minutos depois, ela pegou uma manta preta rendada, colocou em seu rosto e começou a cantar o seu rock com uma voz tão sofrida balançando sua cabeça! Cabeça essa que não via água há algum tempo, a mina não lavava o cabelo há pelo menos uma semana, JURO! Cabelo esse que portava TRÊS diferentes cores e estava completamente despenteado.
 Agora, imaginem a guria: regata preta surrada do Metallica, calça jeans desbotada e rasgada, all star surrado, cardigã com estampa de zebra, cabelo colorido sujo e despenteado PLUS seus fones de ouvido, cantando e balançando sua cabeça enquanto segurava sua manta preta rendada em seu rosto. Isso tudo em PLENO 11 de setembro! Mano, fiquei com medo né! HAHAHAHA
 Além do mais, a moça 'exótica' começou a relar sua perna na minha, por mais que eu tirasse, ela escorregava pela poltrona e vinha novamente. Comecei a ficar tão tensa, pq já estava me sentindo assediada! HAHAHA de repente, ela começou a me olhar e relar a perna na minha, eu tirava novamente e ela se aproximava novamente. Por fim, ela aproximou seu corpo inteiro sentando em um cantinho do meu minúsculo assento da classe econômica e levantou o braço da poltrona. Nesse momento foi demais pra mim, eu puxei o braço da poltrona perguntando se ela estava incomodada com algo. Ela sorriu e disse 'I'm sorry, I don't wanna bother you.' Oi? Fia, cê tá me assediando sexualmente e vem com desculpinha? HAHAHA Só respondi que estava tentando dormir e se ela poderia parar de touching me, ficando em seu próprio assento. Fiquei até com medo de dormir depois e a fia revoltada tentar fazer algo né? HAHAHA vai saber!
 O tio simpático ao lado direito, caiu no sono e começou a roncar ao pé do meu ouvido alguns minutos depois!
 E eu ali, no meio de tudo aquilo agarrada ao meu peixe! HAHA

 E assim, se passaram 3h de vôo!
 Ah, não posso esquecer de contar que alguém em uma poltrona próximo a mim havia comido feijão estragado com ovo podre,  pq soltava uma bufa desgraçada a cada 10 minutos, que me impedia de respirar por alguns segundos!
 Comecei a rir de toda a situação de tão tensa que eu já estava. Queria parar aquele avião e descer ali mesmo, no mar que fosse, qualquer lugar seria menos torturante e embaraçoso naquele momento. hahaha
 E eu ali, buscando uma salvação para o meu tédio na Wi-fi do avião, e aproveitando para começar esse post. Além, é claro, de rezar pra que o tempo passasse voando, pra que eu pudesse sair daquele inferno e dormir.


 Longas 3 horas depois, finalmente cheguei em San Diego. Há essa altura do campeonato, meu relógio biológico estava COMPLETAMENTE FERRADO! Eram 23:30h em San Diego, porém 2:30h da madrugada na Flórida, que era aonde o meu relógio biológico ainda estava, e onde provavelmente irá permanecer pela próxima semana.

 Desci do avião e fui andando, completamente tonta de sono, até a esteira para retirar minhas bagagens. Primeira coisa foi pegar um carrinho né, pq só milagre pra carregar tanta mala assim. hahaha Mas guess what? O carrinho não comportou todas minhas malas, portanto tive que pagar pra um moço com aqueles carrinhos imensos carregar minhas malas. Alguns dólares a menos, lá fui eu..

 Quando saí da esteira, fui direto para o lado de fora do aeroporto, logo avistei meu host dad, não foi difícil reconhecê-lo. Afinal, um francês careca em frente ao aeroporto em plena madrugada, não é uma imagem muito comum né! hahaha

 Foi um caminho até rápido para a minha nova morada, e nós fomos conversando ao longo dele. Já fui logo fazendo meu host rir contando a história da minha viagem até a Califa! Ele, com todo seu humor francês, deu boas gargalhadas!

 Chegando em casa, meu host desceu todas minhas bagagens do carro e, quando entramos, minha host estava na sala me esperando, numa cara de sono coitada. HAHAHA
 Me levaram até meu quarto e aí, até eu conseguir dormir apesar de todo o cansaço, foi um longo tempo...

 Hoje, no meu primeiro dia, eu estava pronta para começar as 7am.
 Mas, bom, isso é história para o próximo post. ;)

 Xoxo,
 Bela.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

#16 Bye, bye, Flórida!


 Oi gente!

 Estou no meio do caminho da minha viagem! Ufa, ou não! hahaha



                              Bye, bye, Palm Beach, espero não voltar tão cedo. hahaha 
                                               kidding, vou sentir bastante falta de lá.

 Bom, 11 de setembro chegou e, com ele a minha mudança pra nova HF.
 Ontem a noite, minha futura HM me mandou um email com as instruções pra minha viagem, dizendo que o HD que irá me buscar pq afinal eu vou chegar as 23:30h em San Diego, portanto ela estará em casa com as kids. Nesse mesmo email ela me disse que amanhã, eu deverei descer pra conhecer as kids as 7am, indicando que eu já irei trabalhar né, então eu aproveitei pra dormir até 11am no meu último dia de férias ops ,digo, rematch! ;p
 Levantei, tomei meu banho e comecei a empacotar minhas coisas. Eu havia levado somente uma mala pro quarto na casa da minha LCC com as coisas mais essenciais, deixando minhas outras malas na garagem, alguns minutos depois e muito esforço a mais, eu consegui fechar minha mala.

 Minha LCC me disse que sairíamos duas horas antes do meu vôo para almoçarmos juntas pela última vez. Terminei de descer minhas coisas, saímos e fomos almoçar no Downtown em North Palm Beach, conversa vai, conversa vem, quando olhamos no relógio faltavam 10 minutos pro meu check-in! Minha LCC saiu correndo desesperada no meio do restaurante, pq o aeroporto era em West Palm Beach e demoraríamos ao menos 25 minutos pra chegarmos lá, ainda mais com todo o trânsito. Ela correu pra pagar a conta e saímos correndo em direção ao carro, minha LCC saiu a mil por hora, pegou a highway e foi cortando todos os carros até o aeroporto. hahaha
 Chegando lá, com apenas 40 minutos do meu embarque, eu desci toda minha bagagem com a ajuda da minha LCC e de um senhor que trabalha pra AA, dei um abraço na minha LCC agradecendo por tudo, ela me disse pra não esquecê-la e mandar sempre notícias, e saí correndo pro balcão da American Airlines.
 Adivinhem? Última pessoa a fazer o check-in. Yay! HAHAHA depois de despachar minhas QUATRO malas, arrebentar a alça de uma novinha que acabei de comprar e, $360 dólares a menos para despachá-las, eu fui para o portão de embarque.

 Ao invés de ficar de olho no relógio, fui andando calmamente, dei uma passada no Restroom, fui passeando pelo aeroporto, quando ouço a última chamada do meu voo. hahaha saí correndo desesperada pelo aeroporto, puxando minha carry on, com a minha mochila da Tommy no ombro, meu travesseiro numa mão e meu peixe na outra até chegar no portão. Imaginem a cena!



          Apresento-lhes, meu peixe: Linguado da Ariel, mais conhecido como Max da Bela. :)                                                              
                      sim, meu peixe se chama Max, lindo né? ;p Que por sinal, é o nome do          
                      cachorro do príncipe Eric da Ariel.. Ops, foco Bela, volta pro post. HAHA

 Ok, cheguei lá toda esbaforida no portão de embarque, mostrei minha passagem pro moço e entrei no avião. 
 Adivinhem? A última a embarcar. Yay! HAHAHA a atrasada master!
 Saí andando com toda aquela tralha LÁ pro final do avião, batendo em todo mundo com minha mochila e meu peixe, só falava 'sorry, oh sorry.' HAHAHA mas enfim, cheguei no meu assento, numa fileira sozinha ( Thanks God!) e, dei tchau para a Flórida.

 Bom, espero voltar a Flórida em breve, mas Palm Beach County não me verá tão cedo.   
 Mesmo assim, estará sempre nas minhas lembranças. Os meus três primeiros meses como Au Pair se encerram aqui, e o mesmo dia em que cheguei nos EUA foi o dia em que deixei a Flórida, dia 11. Parece até algo cabalístico ou, simplesmente coincidência, vai saber o que os agentes do destino pretendem com isso. haha

 O medo de viajar em um pleno 11 de setembro, 11 anos após a tragédia do World Trade Center, foi embora no momento em que meu coração ficou apertado ao deixar a Flórida. Ao deixar tudo que vivi ali pra trás. 
 Tenho lembranças muito ruins que me fizeram decidir sair de lá, porém tenho lembranças incríveis que jamais sairão da minha memória, e que agora só fazem parte da minha saudade.  
 Saudade, aquela que me acompanha sempre, minha fiel escudeira.

 Partindo para o outro lado do país, só espero que as coisas melhorem, que tudo se ajeite e, desejo de todo meu coração, que minha antiga HF seja muito feliz e que aprendam com seus erros.

 Flórida, the sunshine state, obrigada por ter feito parte da minha vida durante esses 3 meses, me acalmando com suas praias e estradas longas pelas quais eu dirigia até a angústia passar. Lugar onde eu cheguei tão empolgada, e fui embora tão arrasada e decepcionada. 
 Porém, a esperança de um dia melhor está sempre aqui, ao meu lado, nas minhas orações e no meu caminho.

 No momento estou no aeroporto de Dallas, aproveitando meu tempo livre, pra contar como está sendo meu dia para vocês. Mando notícias da Califórnia! ;)

 Wish me luck! ;)

 Xoxo,
 Bela.

#15 Texto especial..

 Oi gente!

 Vim compartilhar aqui com vocês um texto muito bacana da jornalista Karina Arruda, que vive na Suíça e escreve para a seção 'Mulheres pelo  mundo' da Revista Época.
 Esse texto me fez refletir muito sobre a experiência que estou vivendo aqui fora e, me fez ter mais certeza de que, eu tenho sim memória e o quanto eu amo o Brasil.

 Se deliciem ;) :

 "Você deve ter recebido por e-mail ou lido em algum post nas redes sociais sobre um texto que enfilera uma sequência de motivos para se orgulhar do nosso país sob o título “O que uma holandesa falou do Brasil”. O artigo apela basicamente para um patriotismo inflamado e inflamável ao utilizar argumentos frágeis e que viraram cinzas há muito tempo, tanto ao tentar mostrar que a Europa e EUA têm um povo porco, fedido e atrasado quanto no esforço de convencer que o Brasil é a 3a economia do mundo, e um exemplo de inovação, democracia e justiça. Ou seja, um factoide ingênuo e desatualizado que se soube ter sido ressuscitado, pois já circula na internet há mais de dez anos e gerou um zunzunzun entre expatriados. Caso não conheça e tenha o interesse de ler, é só procurar pelo título nos sites de busca. E se quiser realmente participar do debate, há vários blogs destrinchando cada informação e suas falácias. Por aqui a minha vontade é apenas querer aprofundar o meu amor pelo Brasil pelas razões certas, e não as inventadas para tentar me emocionar na superfície.
Quando se está fora do país é muito fácil sentir falta e se orgulhar de coisas que ficam mais evidentes quando não podemos usufruí-las. E elas passam longe do calor da economia e das conquistas dos grandes eventos esportivos, já que ainda há muito fato esperado por trás de tanta expectativa, apesar de já ajudarem a mudar a nossa imagem no exterior. O que salta aos olhos e deixa um vazio são os pormenores do cotidiano, da vida que deixamos e que poderiam caber na mala e alegrar mais os dias de quem atravessa o oceano.
No meu caso, sinto a maior saudade dos sabores do açaí e do caldo de cana, e de cantinhos na esquina que vendam sucos fresquinhos e sanduíches naturais feitos na hora. Sinto falta de água de côco gelada no côco. Sinto falta de não ter que pagar o equivalente a dez reais em um mamão papaya nem outras pequenas fortunas para comer as minhas frutas com gosto de infância. Sinto falta da picanha, da mandioca e da farofa. Sinto falta de bolos altos e fofos, de pastel, de empada e tapioca, e de pão na chapa e média escura no balcão de uma padoca. Aos domingos, já fiquei murchinha de saudade da mesa farta com sabores misturados no “junta panelas” dos almoços de família. Ah, e aqui no país do leite e queijo tô sentindo falta de requeijão e de manteiga Aviação.
Às vezes sinto falta de poder combinar algo para depois das dez da noite e não ter que voltar pra casa nesse horário. Sinto falta de boteco, petiscos e caipirinha sem vodka. Sinto falta da falta de protocolo, da flexibilidade, de conseguir comprar qualquer coisa mesmo quando falta um minuto para fecharem a porta. Sinto falta de me sentir parte o tempo todo, e não ser analisada muitas vezes com o olhar preconceituoso de uma forasteira, estrangeira, brasileira. Sinto falta de falar português e me expressar com toda a complexidade que meus pensamentos exigem e que só a minha língua permite.
Sinto falta de andar de chinelos e me vestir de cores o ano todo, e não durante apenas um terço deste tempo. Sinto falta de mais sorrisos. Não necessariamente endereçados a mim, mas também entre uns e outros. Sinto falta de conversas divertidas, de piadas maliciosas, do riso fácil entre uma bobagem e outra e de trocar ideias com interlocutores que falam com as mãos e com brilho nos olhos. Sinto falta de gente sonhadora falando com paixão sobre suas paixões, me fazendo acreditar que tudo é mesmo possível e que nada acontece em vão. Sinto falta de gente que demonstra garra e atitude para virar qualquer jogo. E sinto falta de gente que se encanta e se emociona de verdade e que chora e que se abraça com vontade.
Sinto que é muito mais fácil sentir orgulho do Brasil ao entender que o que temos de melhor não está na ascensão dos índices econômicos, nos milagres de consumo nem outros atributos que só motivam comparações voláteis com outros países e podem evaporar na iminência de qualquer crise. A natureza, a gastronomia, a diversidade, a emoção e o povo é o brazilian way of life que faz uma falta danada em qualquer continente. Aí você vai me lembrar do preço de tudo indo pra estratosfera, do trânsito, da corrupção, da falta de emprego, do salário mínimo que aumenta menos o seu, do atendimento ruim, etc. E aí eu te lembro que sou brasileira e tenho memória curta. Afinal, para o amor não acabar, tem coisas que é melhor nem lembrar."

 E acabo deixando para vocês, uma foto minha e da minha mamãe em um dos lugares mais lindos desse nosso Brasil: Serra Gaúcha.


Ai, que saudades do Brasil, que saudades de casa,
que saudades da minha mãe e da minha família.
Saudades!



 Xoxo,
 Bela.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

#14 Durante o rematch.

 Oi gente!

 Hoje vim falar pra vocês sobre como foi o meu rematch.

 Vou fazer primeiro um resumo das 10 famílias com as quais conversei e colocar todos os motivos de  não ter fechado com elas, ok? :)

 Bom, eu pedi o rematch na manhã de quarta dia 29/08 porém fiquei online somente no final da tarde de quinta dia 30/08. Aquela quinta foi angustiante e a manhã de sexta também, até que entrou a primeira família no meu application. E bom, senta que lá vem história. ;)

 A primeira família apareceu no meu application cerca de 15 horas após ficar online.

 1 - Chicago, Il. 2 kids, menino de 7 y.o. e menina de 12 y.o. - Dispensei depois do primeiro telefonema, a AP tinha carro mas não podia dirigir mais do 20 minutos de distância da casa, banheiro dividido.

 2 - Clinton, CT. 3 meninos de 2, 5 e 7 y.o. - Dispensei depois do primeiro Skype. Schedule maluco, trabalhava aos domingos, começava as 5am.

 3 - Red Bank, NJ. 2 meninas de 6 e 8 y.o. - Dispensei no terceiro Skype. As meninas começaram a brigar pela minha atenção na frente do Skype, a mãe ficou maluquinha tentando separá-las. hahaha Até gostei deles mas, além disso, eles só tinham um ÚNICO banheiro na casa.

 4 - Colchester, CT. Baby de 10 meses. - Dispensei no segundo Skype. Eu os adorei, apesar de ter ouvido algumas coisas ruins da antiga AP. Até pensei em fechar com eles, porém, achei que seria muito boring passar o dia todo somente com um baby no fim do mundo.

 5 - San Diego, CA. 3 kids, baby de 11 meses, menina de 2 anos e menino de 5 anos. - Disse sim pra eles e fechamos o match, porém, antes da confirmação da APC eu pedi que eles me mandassem as regras da casa e, quando li, achei algumas coisas super estranhas, como: não poder tomar banho todos os dias; ter que passar o tempo off com eles; trabalhar nos fds e ter o day and a half off durante a semana, enfim, várias coisas que eles haviam me falado de uma forma quando eu disse sim, estavam escritas bem diferente no handbook da casa. Pedi um quarto Skype e eles ainda me disseram que brigavam muito e, como não queriam me assustar, estavam me falando antes. - Dispensados e match desfeito.

 6 - Coronado, San Diego, CA. 4 meninas, 6 e 7 anos PLUS gêmeas de 5 anos. - MATCH! Eu os adorei, sei que terei muito trabalho mas acredito que será muito divertido também. As meninas são lindas, os pais parecem bem ativos e tenho bastante fé que tudo dará certo dessa vez.

 7 - Boston, MA. 2 kids, baby de 5 meses e menino de 2 anos. - Os adorei, estavam procurando a primeira AP mas sumiram depois do primeiro Skype. :(

 8 - Waldorf, MD. 3 kids, newborn, menino de 5 e menino de 7. - Dispensei no primeiro email, não me sinto confortável pra cuidar de newborn, são tão frágeis. Mas eles pareciam ser legais, e a host trabalhava no FBI, seria muito bacana ouvir as histórias. haha

 9 - Katy, TX. 2 teenagers, menino de 12 e menina de 14. - Eu só conheci o pai pelo Skype, gostei dele e do perfil da família. Ele pediu o match no dia seguinte, porém eu já estava quase fechando com a família de Coronado, que eu havia gostado mais. Além do que, teenagers não precisam de AP, fala sério. haha

 10 - Wilmette, Il. 2 kids, baby boy de 1 y.o. e menina de 5 y.o. - Eu nem cheguei a responder o primeiro email, pq já havia fechado o match.


 Bom, esse processo todo durou 1 semana. Eu fiquei online na quinta, mas só fui ter tempo de responder as famílias no sábado, quando cheguei na casa da LCC, disse sim pra minha futura HF no sábado seguinte. Amanhã seria meu último dia para ter o match, porém será o dia em que irei viajar.
Sim, irei viajar em pleno 11 de setembro - MEDO! haha :(

 No total, das 10 famílias 6 pediram o match, 1 sumiu e 3 eu dispensei.

 Estou indo amanhã para a casa da minha nova HF, cheia de esperança que dê certo, porém, sem nenhuma expectativa, afinal, aprendi que nesse programa devemos esperar pelo pior e o que vier de bom é lucro. ;)

 Wish me luck! Vejo vocês na Califórnia.

 Xoxo,
 Bela.

domingo, 9 de setembro de 2012

#13 O pedido de rematch.

 Como prometi no post anterior, vou contar aqui como foi o meu pedido de rematch. ;)

 Bom, na quarta eu levantei decidida a pedir o rematch, após deixar as kids no day care eu voltei pra casa pra falar com minha host. Quando entrei em casa, ela estava lá fora falando ao telefone, então eu sentei na sala e esperei, esperei, esperei e ela me viu, e eu continuei esperando por quase 1 hora sentada na sala, até que ela entrou. Então eu disse que precisávamos conversar e ela me chamou pra sentarmos no sofá.

 Sentamos e eu comecei a falar tudo que estava me aborrecendo, falei dos horários, do comportamento da menina e, por fim, da atitude frequente do host.
 Deixei passar várias coisas que me incomodavam, como o fato do host dizer que não gostava do baby, o fato da menina ter o diabo no corpo, eu não ter uma vida social, ela chegar bêbada de madrugada e ir bater na minha porta pra conversar, entre outras coisas. Pontuei apenas o que eu achava mais importante e essencial pro pedido de rematch. Ela me disse que havia percebido que eu  não estava feliz ali, e que ia conversar com o host pra mudarem essas atitudes, que iríamos achar uma solução. Porém, eu estava decidida e disse que não queria mais bater na mesma tecla, achava melhor mudar de família e que, eles podiam tentar consertar os erros não os repetindo com a nova Au Pair.
 Minha host começou a chorar, dizendo que me amava e o que sabia o quanto eu e o baby tínhamos uma ligação especial, mas que ela entendia que eu estava infeliz. Bom, a vendo chorar, eu comecei a chorar também, principalmente ao falar do meu baby. Apesar de todas as situações pesadas que passei, e que na questão do schedule minha host contribuiu pra me ferrar, nós tínhamos uma relação bacana, ela me chamava pra almoçar fora 3x na semana, conversávamos muito e eu realmente gosto dela.

 Enfim, minha LCC chegou ao meio-dia para conversarmos. Minha host me disse que a LCC iria nos dar algumas opções para resolvermos o problema, para que eu não tivesse que ir embora. Quando ela chegou, já veio logo falando 'sei que você não está feliz aqui, afinal você já reclamou algumas vezes, mas veja bem..' eu logo cortei e disse 'não tem o que ver, não quero ficar.' , então ela perguntou se eu queria o rematch e eu respondi prontamente que sim. Minha host se assustou e ficou sem reação na hora, tentou contornar as coisas, mas eu disse que não ficaria. Minha LCC me deu os papéis do rematch, me fez algumas perguntas e, a minha host começou a chorar novamente, o que me fez chorar novamente.
 Eu pedi um minuto pra ir ao banheiro lavar o rosto e, logo depois voltei para terminar de responder o questionário. Pronto, rematch concedido! O sonhado rematch que eu já havia pedido lá no meu primeiro mês, aquele rematch que não saía da minha cabeça, havia sido finalmente concedido! E a sensação que me veio naquele momento foi a de alívio, juntamente com a de tristeza e ansiedade!

 Quando fui buscar minhas kids na escola, achei que iria começar a chorar. Mas quando vi a menina senti alívio, mas quando peguei o baby desabei a chorar ali mesmo. Todas as manhãs quando eu ia deixá-lo ele chorava pra não se desgrudar de mim e, todas as tardes quando ia buscá-lo ele vinha correndo todo alegre e me dava um big abraço super gostoso. Abraço aquele que eu o ensinei a dar!
 Voltei pra casa e trabalhei até tarde naquele dia, novamente. Eu já estava indo embora, eles não tinham mais porquê tentarem consertar algo né! Mais um dia de escândalo da menina, mas eu nem me importei, afinal estava indo embora.

 Quando você pede o rematch, tem a opção de esperar na casa da host family (se eles deixarem) ou de ir pra casa da sua LCC. A minha LCC me disse que, como a situação estava complicada com meu host, seria melhor se eu fosse pra casa dela. Minha host não quis, disse que não conseguia pensar que teríamos só mais 2 dias juntas, mas eu decidi sair de casa e vir pra casa da minha LCC esperar pelo rematch! E foi minha melhor decisão.

 Na sexta, eu já estava com minhas malas todas prontas, mas minha host me pediu pra ficar até segunda, eu disse que não e fiquei somente até sábado lá. Nesse meio tempo, tive que arrumar minhas malas de madrugada, pois continuei trabalhando igual louca e, nem sequer conseguia responder as HF's que entravam em contato devido a falta de tempo.
 Na sexta a noite, minha host pediu comida chinesa e disse que era pra mim, pois sabia o quanto eu gostava. Quando desci pra comer o host estava lá, obviamente, me olhou como se nada tivesse ocorrido e sorriu. Eu decidi não jantar e subi com fome, afinal, não havia comido nada o dia todo. Minha host foi até meu quarto e insistiu dizendo que havia pedido chinese por minha causa, e eu disse repetidas vezes agradecendo que não queria descer, ela me olhou com uma cara de decepção e disse que gostaria de me ter a mesa na minha última noite. Foi difícil, mas eu não desci, encarar o host dad e pensar que seria minha última noite com meu baby era demais pra mim.
 Naquela semana, após colocar o baby pra dormir, eu entrei no quarto dele repetidas vezes, sentei no chão ao lado do berço, segurei na mãozinha dele e chorei, chorei muito. As lágrimas escorriam e eu só conseguia pensar que não iria vê-lo nunca mais. Meu baby! Aquele o qual eu ensinei a comer com colher e garfo,  que eu tirei a papinha e comecei a dar só comida, que eu ensinei a abraçar e a dizer algumas palavras, aquele que tinha a gargalhada mais gostosa e sincera do mundo.. Meu baby, aquele baby que eu havia mimado tanto que agora só dormia se eu ficasse sentada no chão segurando sua mãozinha.

 Enfim, chegou sábado, o dia de me mudar pra casa da LCC. Já acordei com uma sensação de alívio, mas ao mesmo tempo, eu não conseguia nem ouvir o riso do meu baby que já me dava um aperto no peito.
 Passei a manhã toda no quarto e só saí uma meia hora antes de ir embora, pra descer minhas malas. Gente, não sei como eu consegui, pq olhando assim eu achava que nem tinha comprado nada aqui, mas fechei QUATRO malas de 32kg que eu enchi somente com 23kg, uma carry on com 15kg, uma mochila da Tommy enorme PLUS meu travesseiro e um linguado de pelúcia enorme que tenho. Enfim, desci isso tudo sozinha escada abaixo, quase morrendo mas consegui. hahaha A avó das kids estava lá na cozinha olhando pro tempo e nem sequer perguntou se eu precisava de ajuda, enfim, minha host tava lá fora e quando me viu descendo tudo correu pra me ajudar, e acabou colocando minhas coisas no carro.

 E finalmente, chegou a hora do adeus. Eu pensei um milhão de vezes antes de dizer tchau pro meu host, mas resolvi me despedir sim, dei tchau e ele me abraçou, ponto acabou ali nossa relação, graças a Deus. A minha menina começou a chorar e, por um momento, eu quis ficar. Ela chorava e dizia 'I love u so much. I will miss u really badly', naquele momento meu coração apertou, dei um abraço nela e virei pra abraçar o baby, foi quando eu o abracei que eu desabei, caí num choro tão forte que comecei a soluçar com ele em meus braços. O coloquei no chão e virei de costas tentando me recompor. Quando estava entrando no carro, a menina veio correndo me dar outro abraço e dizer o quanto me amava, pedindo pra que eu não a deixasse sozinha e dizendo que queria ir embora comigo. Naquele momento eu vi que, apesar de todo o trabalho que ela me dava, eu a amava tanto.

 Entrei no carro aos prantos tentando me acalmar, mas quando minha host entrou pra dirigir ela desabou a chorar, então ficamos as duas chorando dentro do carro até a metade do caminho quando conseguimos nos recompor.
 Chegamos em West Palm Beach, entre a casa dos meus hosts e a casa da minha LCC, e ali seria meu ponto de desembarque. Minha LCC já estava lá esperando por mim, eu desci do carro, passamos as minhas coisas pro carro dela e minha host me abraçou, eu disse o quanto gostava dela e ela me disse o quanto me adorava. Antes de ir embora, minha host pediu pra minha LCC tirar uma foto de nós duas, afinal, não tínhamos nenhuma foto juntas e ela queria guardar de recordação.

 Foi ali, naquele estacionamento do Mall em West Palm Beach, que metade do meu coração americano ficou, junto com a minha host.

 Apesar de tudo isso, eu tenho certeza de que o rematch foi a minha melhor decisão!

 No próximo post, venho contar pra vocês como estão sendo minhas duas semanas em rematch. ;)

 Xoxo,
 Bela.

sábado, 8 de setembro de 2012

#12 O rematch bateu em minha porta..

 .. e eu abri!

 Parece que foi só eu falar no último post que as coisas estavam melhorando, que desandou tudo de uma vez só.
 Pois é, depois de quase 3 meses passando por cima de tudo, aguentando toda a palhaçada com o mau humor do host, falta de respeito em relação ao meu schedule, criança sem educação, hosts folgados e afins, eu cheguei no meu limite! E esse limite foi quando: meu host gritou comigo!

 Eu cansei de conversar a mesma coisa com meus hosts um milhão de vezes, cansei de ter que explicar as regras do programa pra eles, cansei de ter que aturar aquela menina que tinha o diabo no corpo, cansei daqueles cachorros nojentos e fedidos que nunca tomavam banho e soltavam pêlos pela casa inteira, de ter host mom lavando calcinha de merda na pia da cozinha.. enfim, CANSEI!

  Bom, minha decisão aconteceu da seguinte forma: além de eu estar cansada com tudo isso, precisava tomar uma decisão antes das minhas aulas começarem, o que seria na tarde de quarta-feira dia 29/08. Só que, justamente devido as minhas aulas eu estava tentando segurar, pq afinal, a partir do momento em que eu começasse a estudar iria passar mais tempo fora de casa, conhecer novas pessoas e enfim, seria mais fácil aguentar tudo que eu estava passando ali naquela casa amaldiçoada. Mas o meu host resolveu, digamos, 'facilitar' a minha decisão.

 Vou fazer uma lista aqui pra vocês ok? ;)


 1- Eu não estava feliz e comecei a não conseguir segurar a barra mais. Eu estava ficando cansada demais, eles não respeitavam as regras do programa, estavam pouco se lixando pra mim, eu nunca podia sair a noite com minhas amigas pq meu schedule não permitia. Enfim, foi complicado! Eu acho que aguentei até demais lá viu! 3 meses tensos!


2 - Problemas com o host: Como sempre, ele passava os finais de semana num bom humor forçado e inexplicável fazendo algumas piadinhas ridículas, mas quando chegava a segunda-feira ele acordava com o cão no corpo, afinal o trabalho não ia nada bem, ele não faz dinheiro algum, é praticamente sustentado pela host e enfim, o mau humor que inicialmente sobrava pra host e pras kids, acabou sendo descontado em mim também. Na minha última semana lá as coisas ficaram insuportáveis.
 Na segunda-feira ele levantou com o cão no corpo, de mau humor, sem nem olhar na minha face e nem sequer responder meu bom dia como sempre, SÓ QUE ele resolveu perder o controle e eu não aceitei, portanto acabamos discutindo, nada muito fora do normal, porém foi uma discussão.
 Quer saber exatamente o que houve? Pois então, aqui vai o motivo ridículo: Na segunda eu levantei e desci pra trabalhar as 6:55am, quando estava descendo as escadas vi que todos já estavam lá embaixo, então eu disse 'Good Morning!' como sempre fiz todos os dias e, como sempre, ele não respondeu, somente a minha host respondeu. Afinal ele e a menina estavam muito mau humorados pra responderem algo! Beleza, fiz de conta que nem liguei e passei direto em direção ao meu baby, preparei o café dele e comecei a alimentá-lo. 5 minutos depois veio o host segurando alguns morangos e começou a dar pro baby, como o baby não gosta de morangos ele começou a jogar em MIM e dizer 'no, no, no'. Ao invés do FDP do host parar, ele continuou dando morangos pro baby e ele continuou jogando em mim, no meu rosto, no meu cabelo, na minha roupa. Então eu disse pro host que ele não gostava de morangos, ele me respondeu grosseiramente que as vezes o baby comia e continuou dando e o baby continuou jogando em mim, até que eu repeti que ele não gostava e que ele estava me sujando toda logo de manhã, então ele jogou a vasilha com morangos na mesa e gritou que eu deveria tentar. Bom, eu respirei fundo e engoli, ATÉ QUE minha host entrou em casa (ela estava no quintal) e ele começou a gritar com ela 'Ele tem que comer morangos.' e minha host lá sem entender nada né! Daí eu não aguentei a indireta direta e estourei, com muita classe e calma, é claro!

3 - A menina: Bom, eu cuidava de um baby de 18 meses e de uma menina de almost 5. O baby foi meu grande amor e minha grande alegria naquela casa, mas a menina.. bom, a menina é uma longa história.
 Como boa parte das girls de 5 anos, ela era carinhosa e gostava de beijar e abraçar, porém esses momentos eram raros. Ela era muito difícil e, antes de eu vir, a antiga AP me disse que ela era muito amável mas, quando cheguei aqui, me contou a verdade. Bom, ela tinha crises horríveis de mal criação, se jogava no chão e se debatia no melhor estilo exorcista gritando e chorando, corria e dava voadora tentando avançar e me bater, então eu tinha que segurá-la pra não apanhar né! Com 5 anos, ela ainda usa fraldas o dia inteiro, nada de calcinha, e está o tempo inteiro fedendo a coco e com a fralda cheia. E claro, os pais por comodidade, não aceitam fazer o potty training com ela. Além disso ela nunca escuta, é necessário repetir a mesma coisa cerca de 20 vezes, e não estou exagerando. Bate no baby e os pais não fazem nada. Na única vez em que a minha host a trancou no quarto durante 1 hora, ela quase destruiu o quarto, saía correndo de perto da janela e pegava impulso até a porta pra se debater e chutar a porta com toda força, jogou o quarto inteiro no chão e gritou tanto que parecia um filme de terror.
 Durante várias vezes, quando estávamos somente eu, ela e o baby em casa, ela teve essas crises e, ela gritava tanto que por vezes eu fiquei com medo dos vizinhos chamarem a polícia, pensando que eu estava matando a menina.
 Tudo com ela era uma luta, pra levantar, pra comer, pra dormir, pra trocar a fralda que estava sempre cagada, enfim.. O cansaço além de físico era mental. Eu ficava morta no fim do dia.
 E, por fim, eu já me recusava a trocar as fraldas dela, afinal, por mim ela já estava no potty training desde que cheguei né!

4 - Schedule: Os meus hosts não respeitavam meu schedule, por fim, eu estava começando as 7am e só terminando as 2am. Eles escreviam que eu iria ficar off as 20:30h, porém, as 20:20h eles saíam e não davam mais sinal de vida. Diziam que voltariam em 10 minutos e só voltavam depois da 1am, completamente bêbados. Minha host se jogava na grama em frente a casa e gritava horrores, enquanto o host que por sua vez estava super bêbado tentava levantá-la.

5 - Horas extras: Cheguei a trabalhar 75 fucking horas por semana, sem receber um centavo a mais e nem sequer um 'obrigada.'
 NUNCA tive o meu half day off em 3 meses e, quando eu reclamei, eles disseram que não iriam me dar pq queriam que as crianças ficassem a maior parte do tempo possível fora de casa, pra que pudessem dormir em paz.

6 - Vida social: Devido ao meu schedule maluco e totalmente desrespeitoso, eu nunca consegui sair com minhas amigas aqui. Nunca em 3 meses! As vezes em que consegui sair, foram no meu weekend off, o que também era sempre uma luta, pq até no meu weekend off eles me deixavam com as crianças até 1am de sexta.

 E algumas coisas mais que nem irei enumerar aqui! Basicamente foi isso!
 Então, na terça eu dormi pensando em pedir o rematch e, na quarta quando acordei estava decidida. Levantei, trabalhei, deixei as kids no day care e voltei pra casa, quando vi minha host sentada lá fora fiquei na sala esperando ela entrar pra conversarmos.

 Apesar de toda essa situação, a decisão do rematch não foi fácil. Mas foi a melhor decisão!
 Bom, por hoje é isso, no próximo post venho contar para vocês como foi a conversa e o pedido de rematch. Não quero me prolongar mais nesse aqui, pq já está bem grandinho.

 Xoxo,
 Bela.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

#11 E lá se foram 2 meses...

 Oi gente!

 Bom, desde que cheguei aqui abandonei o Blog pq ando muito sem tempo, mas agora resolvi criar vergonha e atualizar isso aqui. :) Então, se preparem, pq esse post vai ser grande! HAHAHA

 Então, no dia 11 eu completei dois meses de Eua e hoje, dia 14, completo dois meses na minha HF. E só tenho uma coisa a dizer: esses dois meses voaram. Nossa, gente, passou muito rápido! Eu lembro da sensação que eu senti quando estava prestes a embarcar, todo aquele mix de sentimentos. Eu lá agarrada na minha família e no meu namorado, sem querer largar mais. A última noite em que dormi na minha cama, a última vez em que dirigi meu carro, o último almoço na casa da minha avó antes de vir.. tão nostálgico né? haha Mas posso sentir todas essas sensações ainda.
 Sinceramente, eu achei que fosse ser mais difícil e demorado. Não que esteja sendo fácil, a saudade de casa tá grande e nesse último mês me bateu uma homesick horrorosa, a qual ainda estou tentando sair dela, mas está melhor do que eu imaginava já que, eu não acreditava que conseguiria ficar um mês aqui. hahaha

O encontro das Au Pairs que embarcaram em Guarulhos.

Minha última foto em território Brasuca.

Cartão do Father's Day que fizemos durante atividade no treinamento.

Atividade em grupo separado por idades.

Aula chata de primeiro socorros com esses bonecos sinistros,
que parecem ter saído de um filme de terror.

Última foto com as girls mais queridas do treinamento.



 Bom, vou começar atualizando vocês sobre minha HF. Como eu já disse no post *Perguntas para a atual Au Pair* , eu perguntei absolutamente TUDO para ela e, claro, confiei na sua sinceridade né! Afinal, que ex Au Pair iria querer ferrar com a vida da futura Au Pair?! Pois é, gente, só que ela não pensou bem assim e, pra minha infelicidade, não foi tão sincera como eu imaginava comigo. Quando eu cheguei me dei muito bem com ela, uma querida, me mostrou tudo aqui por perto, fizemos várias coisas juntas, foi bem bacana mesmo, ela é super gente boa e foi ótimo tê-la por perto nas duas primeiras semanas. MAS, como nem tudo são flores, ela começou a falar a realidade dos problemas aqui e, eu logo comecei a perceber também!
 Acontece que, quando perguntei pra ela o motivo de não ter me contado toda a verdade ela me disse que não sabia o que falar e que não queria me assustar. Poxa, fiquei chateada pra caramba sabe, pq nós havíamos conversado bastante por email, eu tinha enviado todas minhas dúvidas pra ela, confiado nas suas respostas e ela não tinha sido sincera? Fiquei chateada, fui dormir mal pra caramba, pensando em pedir rematch no dia seguinte mas, quando coloquei a cabeça na cama e pensei, achei melhor esperar um tempo pra ver se as coisas melhoravam.
 Eu acabei entendendo que, apesar dos problemas que ela teve aqui e de algumas coisas que estavam acontecendo, a minha HF não era a pior e que, as coisas podiam sim melhorar.
 E aqui estou eu, me dou muito bem com minha host mom e sou completamente apaixonada pelo meu baby. O host dad também tem seus bons momentos, mas são mais raros e eu quase não converso com ele já que, quase não o vejo. Já a menina.. bom, a menina é uma longa história e a que mais me chateou o fato da antiga Au Pair não ter me falado tudo, aliás, ela não falou praticamente nada que fosse verdade sobre a menina. haha :(
 Mas tirando os contras, a minha HF tem muitos prós e, sinceramente, a ideia de rematch não passa mais pela minha cabeça não. Aprendi a gostar de morar aqui, me dou muito bem com minha host e ela tenta fazer o melhor, sempre me ajuda em tudo e é bem flexível em relação aos meus interesses x meu schedule.
 A minha HF me trata super bem, todo fds me chamam pra fazermos coisas juntos (mas eu nem sempre vou pq ADORO ficar sozinha no meu tempo off, sem choro de criança na minha cabeça né), a minha host me leva pra almoçar com ela duas vezes na semana. Enfim, depois que a antiga Au Pair foi embora eu pude expressar o que me incomodava e, eles realmente melhoraram e, os problemas diminuíram. CLARO que, eles não são perfeitos mas, são bem melhores que a maioria das HF's.

 Então, gente, sempre escutem o que a atual Au Pair disser pra vocês mas, não confiem totalmente. A antiga Au Pair da minha família é uma querida mas, só me contou a realidade depois que cheguei aqui. Portanto, venham preparados pra tudo. E lembrem-se de que, não é pq não deu certo com a antiga Au Pair que, não dará certo com vcs. Eu estou muito bem aqui na minha HF e, conversando, todos os problemas podem ser resolvidos. Os meus hosts estão mudando muito em relação a educação das kids também, o que me ajuda e facilita muito o meu trabalho com elas.
 Além de tudo isso, os meus hosts me respeitam e escutam o que eu tenho pra falar. O que é muito importante.

A praia onde eu moro em Miami Area.

        
A Marina da praia, lugar mais lindo. Adoro ir passar tempo lá, 
lendo algum livro ou só olhando pro nada mesmo. Dá uma sensação tão boa.

No segundo dia em que eu estava aqui, minha HF me levou pro Lion Country Safari. Muito bacana lá, lugar super lindo, cheio de natureza. Na primeira foto estávamos alimentando a Girafa, super legal. :)


Bom gente, depois eu volto pra postar algumas fotos das minhas idas a Miami Downtown e Miami Beach. ;)

 Nesses dois meses morando aqui eu aprendi que, não sou a melhor pessoa pra dirigir a noite em um lugar que não conheço, pq sempre me perco e começo a chorar e achar que vou morrer na metade do caminho. haha Presenciei várias tempestades e vivi uma semana em alerta de tornado com medo dele realmente chegar aqui, na verdade ele chegou, mas foi somente nas praias vizinhas. A saudade não diminui, ela se aquieta por um tempo mas, logo depois, já começa a gritar. Percebi que minha cama e minha casa são os melhores lugares nesse planete. Entendi que, levar um relacionamento a distância, é bem mais difícil do que eu sempre imaginei mas que, se o namoro sobreviver a isso, ele sobreviverá a tudo. Aprendi a deixar as pessoas que mal conheço fazerem parte da minha vida e que, as vezes isso pode ser muito bom, definitivamente não sou mais a pessoa fechada que chegou aqui há dois meses atrás. Senti que, morar na casa dos outros, por mais que você tenha o seu canto, esse canto nunca será realmente seu e, você nunca se sentirá realmente em casa. Aprendi a abastecer o carro sozinha mas, isso só aconteceu depois que levei um banho de gasolina, sim, um banho, simplesmente pq tirei a mangueira de dentro do tanque antes do momento certo. Fiquei toda ensopada de gas e achei que ia morrer queimada no meio do caminho de volta pra casa.
 Micos? Vergonhas? Ah, uma hora volto aqui pra fazer a lista de alguns que já passei e, não foram poucos. haha
  Viajar saindo da Flórida não é tão barato quanto parece então, pretendo usar esse ano para explorar mais o estado e, voltar aos lugares que eu já havia visitado em viagens com a minha mãe.
 Dirigir 2h para chegar em algum lugar é normal aqui e, já não é mais algo cansativo. "Tal lugar fica a 2h de distância? Ah, pertinho.."

 E a felicidade? Ahh, essa tá aqui do meu lado andando juntinho com a minha saudade.

 Bom, é isso.
 Beijos, see u!

 Xoxo, Bela.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

#10 I GOT MY VISA!

Oiii gente!

Bom, como não podia faltar, vim contar pra vocês como foi a entrevista do meu visto. :)

Fiz tudo com o despachante, então não me perguntem detalhes do preenchimento do DS160 pq eu não sei. Nas outras vezes que fui tirar o visto de turista, sempre preenchi tudo, mas como agora mudou o sistema eu fiquei com medo de dar algum peteco na hora de preencher, então optei pelo despachante.

Marquei pra ir no CASV dia 22/05 e a entrevista dia 23/05 em Brasília.
Achei melhor solicitar o visto na Embaixada pq das outras vezes sempre tive visto concedido por lá, é mais perto da minha casa e é mais organizado que os Consulados.

Bom, no dia 22 eu e meu namorado saímos daqui de Goiânia logo após o almoço, por volta das 14h. Eu tinha que estar no CASV pra apresentar minha documentação as 17:30h, como lá fecha esse horário então a despachante me aconselhou a chegar uma meia hora mais cedo e assim eu fiz. A viagem daqui pra Brasília dura cerca de 2:30h, mas com meu namorado dirigindo, durou só 2h. Chegamos em Brasília e ainda faltava um tempinho pro meu horário no CASV, então eu fui até o hotel e deixei minhas coisas lá. E então, fomos para o CASV que fica logo atrás do Shopping Pátio Brasil, então quem for tirar o visto em Brasília não precisa se preocupar pq é bem facinho de achar. ;)
Chegando lá, tava suuuper vazio já (leia-se: eu era a única pessoa lá dentro além dos rapazes e das moças que trabalham lá). Eu entrei e fui atendida no mesmo instante. Tirei a foto lá mesmo pq com esse novo sistema não é mais necessário levar uma foto, tirei as digitais e só. O rapaz nem olhou minha documentação, só o passaporte e o DS160, ou seja, eles pedem pra vc levar o DS2019, foto, comprovante de pagamento e no final eles não olham nada além do DS160 e passaporte.

Saindo de lá eu fui pro hotel tomar um banho e descansar e meu namorado foi pra casa da tia dele. Eu tenho família em Brasília também, mas sempre prefiro ficar em hotel pq não gosto de incomodar os outros e gosto da minha privacidade. Enfim, a noite a gente saiu pra jantar no Pier e depois fomos ao Pontão. Como no outro dia teríamos que acordar muito cedo, nem demoramos muito. Umas 23h eu já estava no hotel pronta pra dormir.

No dia seguinte, meu namorado chegou bem cedinho pra me buscar. Minha entrevista na Embaixada estava marcada pra 9:30h e as 8h ele já estava no hotel me esperando.
A Embaixada também é bem fácil de achar, eu lembrava onde ela ficava já dentro do Setor das Embaixadas, mas não sabia chegar lá. Mas foi bem fácil de achar pq meu namorado conhece Brasília muito bem, então não tivemos problemas quanto a isso. Antes das 9h eu estava lá já.
Aí como de costume vc só pode entrar com a documentação, nada de eletrônicos e eu deixei a bolsa no carro mesmo pq não ia precisar dela.
Minha pasta com a documentação estava ENORME! Levei tudo! Eles nunca olharam nenhum documento meu e eu sempre tive todos os meus vistos aprovados, mas melhor prevenir do que remediar né?!
Cheguei, peguei a senha, fui pra fila das digitais (sim, vc tira as digitais tanto no CASV quanto na Embaixada) e depois esperei me chamarem pra entrevista. Foi bem rápido, eu fiquei sentada esperando uns 10 minutinhos só e já me chamaram pra fila da entrevista. Gente, lá é muito organizado, então as filas não são como as que as meninas que vão tirar o visto nos consulados costumam descrever não, aquelas enormes que chegam a dar voltas, a fila lá é composta por umas 10 pessoas no máximo, bem organizado mesmo.

Bom, vamos a entrevista né! O cônsul foi super gente fina..
B = Bela.
C = Cônsul gente fina! hahaha

C = Bom dia! Tudo bem?
B = Bom dia! Tudo sim e com você?
C = Tudo bem! E então, você tá indo viajar?
B = Sim, sim, viajo daqui duas semanas.
C = Hmm, que bom! Posso ver seu passaporte?
B = Sim! Você quer os outros dois também ou só o vigente?
C = Você já tem outros vistos?
B = Sim, outros dois.
C = E quer mais? rs.
B = Sim! Pq eu tenho dois de turista e agora quero um de Au Pair.
C = Hmm, então você tá indo ser Au Pair? Pode me dar só o passaporte vigente mesmo. (Enquanto isso ele já foi assinando meu DS2019 aprovando o visto.)
B = Pronto, é esse aqui.
C = Espera só um minutinho. (Foi lá pra dentro e demorou uns três minutinhos.)
Prontinho, seu visto foi aprovado!
B = Ah sim, obrigada!
C = Só uma coisa, seus outros vistos estão vencidos né? Dos outros passaportes. Você só tem agora os dois (Turista e Au Pair) vigentes nesse passaporte aqui? Os outros foram carimbados?
B = Não, não! Você quer?
C = Sim, me dá aí que vou carimbar pra você não se confundir. (Entreguei os outros passaportes.)
Nossa, você já viajou muito hein! Me fala onde você já conhece! (Me devolveu meus passaportes e meu DS2019 assinado.)
B = Já sim! rs. Ahhh, eu já fui pro Chile, Uruguai, Argentina, Estados Unidos, Portugal, Espanha, Itália, Inglaterra, França, Bélgica, Principado de Mônaco, Luxemburgo e..
C = Okay, okay, já dá pra ver que você já viajou muito mesmo. hahahahaha Bem legal isso! Onde você conhece nos Estados Unidos?
B = Então, eu conheço NYC, Washington DC, Miami, Cape Canaveral, Orlando, Disney, Fort Laurderdale e  New Jersey!
C = Olha, que bom!!! E é a primeira vez que você tá indo viajar sozinha? E você já conhece a família, já teve contato com eles? Onde você vai morar?
B = É a primeira vez que viajo sozinha pra fora do país sim, sempre fui com minha mãe. Eu vou morar na Flórida e já conheço a família sim. Pelo Skype só. rs.
C = Bom, tomara que seja um ótimo ano pra você! Você faz o que aqui?
B = Sou atriz e tava estudando pra ser médica!
C = Legal! Quem sabe você não consegue fazer um curso bem bacana na sua área lá né?!
B = Pois é, quero tentar né! rs.
C = Claro! Tá aqui a cartilha com todos os seus direitos nos USA ok? Tenha uma boa viagem!
B = Obrigada! Ahhh, só uma coisa! Eu viajo semana que vem e acho que talvez meu passaporte não chegue a tempo, posso retirar aqui?
C = Claro! Você quer vir retirar que dia? Você moro pertinho daqui né?
B = Pode ser quarta da semana que vem? Moro sim. Moro em Goiânia!
C = Então olha, vou marcar aqui pra quarta da semana que vem e você pode vir retirar as 16h ok? Boa viagem! Bye, bye!
B = Obrigada! Bye, bye!


Bom, essa foi minha entrevista! Foi tudo em português e o cônsul assinou meu DS2019 aprovando logo de cara! :)
Foi beeem tranquilinho mesmo!

Ontem eu voltei lá com meu namorado e meu passaporte tava lá prontinho me esperando! ;)

See u!
Xoxo, Bela.

terça-feira, 8 de maio de 2012

#9 Perguntas para a atual Au Pair

Oi gente!!!

Hoje vim falar pra vocês sobre algo muito importante: As perguntas que vocês DEVEM fazer para a atual Au Pair da sua potencial HF.

Gente, como eu disse no post anterior, SEMPRE perguntem tudo para a atual Au Pair, ela vai ser a única pessoa que vai te falar toda a verdade.


Durante todo o processo, é normal termos várias dúvidas e medos.
Eu indico que todos façam uma relação dessas dúvidas escrita em um papel
e a medida que forem tendo oportunidade, perguntem tudo!

Bom, vou colocar aqui para vocês algumas das perguntas que fiz para a atual AP da minha HF.

Algumas das perguntas que na minha opinião são essenciais:

- Como os HP te tratam? Eles sempre te respeitaram? Vocês já discutiram alguma vez?
- Como as HK te tratam? Como é a personalidade de cada kid?
- Eles realmente são tão simpáticos quanto parecem ou é enganação? ( hahaha, sim eu fiz essa! )
- A HF pede pra você fazer algum trabalho de Housekeeper?
- O carro é realmente de uso exclusivo seu ou você tem que dividir?
- E quanto as regras da casa, eles me disseram que não existem, é verdade?
- Eles já te pediram pra fazer algum extra? Eles te pagaram por isso?
- O schedule é bagunçado ou é sempre de acordo com o que eles falaram inicialmente?
- Os HP te ajudam com alguma coisa em relação as kids?
- E a alimentação? ( No meu caso, meus Hosts são judeus, então queria saber se tem algo que eles não comem, ou se seguiam a dieta Kosher. E ela me respondeu que é tudo normal, não tem nenhuma restrição. )


Aí depois vem as perguntas não tão essenciais assim, mas que também é legal saber:

- O que tem de interessante pra fazer aí por perto?
- Você conseguiu fazer muitas viagens nesse ano? E cursos, quais você fez?
- Tem outras AP brasucas aí na área?
- Pode receber amigas em casa?
- O que devo levar de roupas?
- Como é morar por aí?
- Qual carro é? É manual ou automático?
- Eu estou pensando em levar algum presente pra dar pra eles. O que vc acha? Do que cada um deles gosta?
- Quanto tempo de distância fica Miami Downtown? Aí nessa você pergunta quanto tempo fica a cidade grande mais próxima. Eu vou morar em Palm Beach County, então Miami Downtown é a cidade famosinha mais perto. ;)

Bom, até onde eu me lembre acho que foram essas as perguntas que fiz até o momento.


E depois de todas as respostas terem sido bem positivas,
eu fiquei bem tranquila. Agora é só correr pro abraço e
torcer pra que seja tão positiva para mim essa experiência.


ATENÇÃO: Caso a atual AP só fale coisas maravilindas da HF e do lugar, fiquem espertas pq não existe NADA mil maravilhas nesse mundo gente! Se ela só falar coisas boas, não vai estar sendo sincera, pode desconfiar pq aí tem. Deve ter dado algo muito errado com ela, e agora ela tá querendo ferrar a próxima AP. hahahahahahaha Imprevistos acontecem, momentos ruins também, então fiquem espertas quando for bom demais.
Como diz o velho ditado: 'Quando a esmola é muita, o santo desconfia.'

 Qualquer dúvida que vocês tenham a mais sobre as perguntas para a potencial HF e para a atual AP, leiam aqui no Manual da Au Pair preguiçosa onde as meninas esclarecem tudo sobre o mundo auperiano. ;)
E deixem seus comentários sobre o post aqui embaixo, e suas dúvidas caso tenham mais algumas. Terei o maior prazer em respondê-las.

PS.: A Pamella Schn me pediu para fazer esse post, eu me atrasei um pouquinho, mas tá aí. :)

Espero ter ajudado,
xoxo, Bela.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

#8 Segundo Skype com a HF E. and...

Oiii gente!

Acho que esse vai ser o post MAIS EMPOLGANTE EVER! hahahahaha
Pra quem leu o post anterior, venho aqui trazer o final da história!

Como eu disse, ao fim do primeiro Skype eles me pediram pra já marcar um segundo Skype, e assim foi, ficou marcado pra 18h do sábado.
No sábado assim que acordei, como de costume fui olhar meu e-mail e lá estava um e-mail deles falando como tinha sido bom falar comigo e que estavam muito ansiosos pra mais tarde! Já fiquei MEGA feliz né?
Como eles foram muito pontuais anteriormente, eu fiquei despreocupada né? Lá pelas 17h eu dava um tapa no visu e tava tudo certo e no horário.
Eis que... as 16:45h eles me mandam um e-mail perguntando se podíamos nos falar mais cedo, as 17h!


WHAAAAAT???
Eu estava chegando em casa e ainda não tinha dado um tapa no visu..
Que que eu fiz???

Disse a verdade! hahahahahaha e pedi pra que me esperassem 30 minutinhos. Eles disseram que tudo bem, não tinha problema. E as 17:30h eu estava de frente pro Skype esperando a ligação. Assim que mandei e-mail avisando a HM entrou e me ligou imediatamente.
E lá estavam eles! As crianças estavam lanchando na mesa da sala e os pais estavam ao lado!
Logo de primeira a menininha veio falar comigo e perguntou os nomes dos meus pais. Aí eu falei, nós conversamos mais um pouco sobre o que ela estava lanchando e como havia sido o seu dia e aí a HM iniciou uma conversa!

Ela disse que tinha sido AMAZING conversar comigo na sexta!
Disse que estaria ausente pelas próximas três semanas viajando a trabalho, mas que eu poderia falar com o HD e com a atual Au Pair. Falou mais um pouco da rotina das kids, de como eles eram, que ela e o marido além de tudo são melhores amigos e sempre fazem questão de passar um tempo juntos...
Depois de cerca de 40 minutos de conversa, ela me disse: "We really liked you. When we saw you yesterday we had to make sure it was you who we wanted. We want you to be part of our family and come to live with us at this year. And we want to know if you feel the same!"


GENTE, JURO que minha reação inicial foi essa..
Não sabia o que dizer, fiquei nervosa, emocionada, assustada..


E em seguida eu disse: "YES! I wanna that! Your family are so friendly and I think that will be a great year!"
E ela: "Oh, that's amazing! Do you wanna think about that?"
E eu: "No, I'm sure about that!"
E ela: "Yeaaa! That's wonderful, I'm so excited!"

E aí o HD apareceu e disse que seria ótimo, que eles estavam me esperando ansiosamente e estavam muito felizes com a minha resposta!


E aí eu fiquei assim! hahahaha
TODA FELIZ!

E aí.. I HAAAVE A MAAATCH!


Ahhh gente, se as famílias de vocês tiverem tido outras Au Pairs, SEMPRE falem com elas antes. Eu mandei um e-mail GIGANTE pra primeira Au Pair da minha família (eu vou ser a segunda) perguntando tudo, e agora toda dúvida que tenho eu mando um texto pra ela. hahahahaha Tadinha, mas ela é sempre super atenciosa e me responde tudinho! Não tenham vergonha de perguntar algo pra outra Au Pair, elas serão as únicas que vão te falar toda a verdade de como realmente é a HF e a casa! Conselho que recebi da Denise Borges e me foi muito útil, tem coisas que a gente fica meio sem jeito de perguntar pros Hosts e acaba sobrando pra Au Pair mesmo. hehehe!



Esqueci de dizer, eles são de Palm Beach, Miami - Flórida!
MIAMI, HERE I GO AGAIN! hahaha


Logo volto aqui com mais novidades, gente! Mas definitivamente, esse é o post que eu estava mais empolgada pra escrever!

See you!
Xoxo, Bela.

domingo, 29 de abril de 2012

#7 Primeiro Skype com a HF E.

Oiii gente!

Esse post tá um pouco atrasado, mas eu não tive tempo de escrevê-lo antes.

Na quinta-feira, pouco antes de falar com a HF R. eu recebi um e-mail da APC avisando que tinha outra família interessada em mim. Logo em seguida, eu recebi um e-mail da HM dizendo que tinha gostado do meu perfil e que gostaria muito de marcar uma entrevista na quinta mesmo a noite. Mas, eu não podia marcar um Skype atrás do outro, afinal, eu não sabia quanto tempo iria demorar cada um, então eu disse que não podia e se poderíamos nos falar na sexta. Eles responderam que sim, se eu queria sexta pela manhã ou a noite, e eu respondi que no fim da tarde era melhor. De cara já gostei de como ela era empolgada em seus e-mails e amei as fotos da HF, fiquei esperando ansiosamente pelo dia seguinte!

Enfim, CHEGOU SEXTA-FEIRA! Eu estava MEGA ansiosa!
Tínhamos marcado pra 18h e as 16h eu já estava pronta e em frente ao note. Uns 10 minutos antes me deu uma vontade enorme de fazer xixi, e eu fui né? hahahaha.. De repente, eu ainda tava vestindo a calça, meu Skype começou a chamar! Lavei as mãos correndo e saí vestindo a calça pela casa toda descabelada pra atender ao Skype! hahahahahahaha E aí, eles estavam lá! O casal MAIS simpático que eu já conversei em TODO meu processo.
HD, HK 4 y.o, HK 1 y.o, HM e os dois dogs.


A conversa foi fluindo naturalmente e eu fui ficando cada vez mais encantada por eles. Tanto a mãe quanto o pai foram falando bastante, eles eram super alegres e iam falando muito da família, perguntando sobre mim e SEMPRE super interessados nas minhas respostas e cada vez que eles falavam sobre a atual Au Pair, eu ia gostando  mais e mais, imaginando se eles gostariam tanto de mim quanto dela. E achando o máximo a forma como eles se referiam a ela.
Depois de meia hora de conversa, eles já haviam me mostrado os cachorros pelo Skypem aí o pai falou "They are here. Wait a minute!" e.. as crianças haviam chegado da escola com a atual AP. Na hora apareceu a menininha mais linda e encantadora desse mundo, toda envergonhada, aí eu fui conversando com ela sobre princesas da Disney, falei que eu tinha uma priminha da idade dela e ela foi se interessando e começou a conversar comigo. Perguntou se eu queria ver o quarto dela, qual a minha princesa preferida da Disney, coisas assim..
Depois eles me apresentaram pro menininho mais fofo que tava correndo pra todo lado e, por fim me apresentaram a atual Au Pair.
Nós conversamos durante um tempo, ela me falou como era viver lá, de onde ela era aqui no Brasil e essas coisas mais superficiais já que a HM estava ao lado e o restante da HF estava toda na sala.

Em seguida, a HM pegou o note e saiu me mostrando a casa inteira, e eu ia pensando "QUERO ELES!"
GENTE, eles eram incríveis, a HF dos meus sonhos! Finalmente eu conseguia entender o que era o tal do feeling com a HF!

Nós conversamos durante 1:20 minutos! Foi AMAZING!
Todos voltaram pra se despedir de mim e pediram um outro Skype pro sábado...
Eu me despedi MUITO feliz e empolgada com eles. Esperando ansiosamente pelo sábado e torcendo pra que eles estivessem sentindo o mesmo.

MAS, do Skype de sábado e o final dessa história, eu venho contar pra vocês em um OUTRO POST muito em breve! Creio que amanhã eu posto aqui sobre isso já..


See you!
Xoxo, Bela.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

#6 Primeiro Skype com a HF R.

Oiii gente!

Bom, vim contar pra vocês como foi meu primeiro Skype com a família R.

É uma família de NY, moram em uma cidade há 45 minutos de NYC. São bem jovens e MUITO simpáticos!
Todos os zilhões de e-mails trocados até então foram com a HM, mas no Skype os dois apareceram pra falar comigo. Já era 21h lá e as kids já estavam dormindo.

HM, HK 1 y.o. , HK 4 y.o. , HD e o pequeno dog deles.


A conversa foi muito tranquila e durou cerca de 40 minutos.
Inicialmente eu fui deixando que eles perguntassem e a conversa fluiu naturalmente. Apesar de ter ficado muito à vontade eu estava um pouco nervosa, mas eles ficavam sorrindo e demostrando interesse no que eu estava falando, então eu fui falando um texto a cada pergunta que eles faziam. #NOT! hahahaha em algumas respostas eu fui bem direta e tentei ser o mais clara possível, mesmo esquecendo algumas coisas de vez em quando devido a empolgação. =p

Bom, eu nem lembro direito todas as perguntas que eles fizeram, mas foram mais coisas do tipo o que eu gosto de fazer, o que eu irei fazer no meu tempo livre lá, como é uma semana corrida pra mim, o que eu considero difícil em relação a cuidar de kids, minha experiência na direção.. Essas coisas!

Aí no fim ela me perguntou se eu tinha algo pra perguntar pra ela, alguma coisa que eu gostaria de saber. Só que, eu meio que já sabia de tudo que gostaria de perguntar num primeiro Skype né, as outras coisas eu separei pra um segundo Skype (caso houver), e aí eu fui enrolando perguntando das kids, da rotina deles e tal.
Eles estão procurando uma segunda AP, já que a primeira vai embora agora em julho e caso houver outro Skype, eu vou pedir pra falar com ela OBVIAMENTE! Pq, geralmente, as AP contam tudo sobre quem é a família realmente.
Então gente, caso as famílias que vocês estão conversando tenham outras AP, SEMPRE peçam pra falar com elas. Dica valiosíssima que recebi da minha colega Denise Borges com quem eu sempre discuto as coisas do programa e é daqui da minha cidade e vamos pela mesma agência. Aproveitando pra fazer um merchan, entrem aí no BLOG dela que é MARA! ;)

Enfim, a HM comentou bem animada que existem 3 faculdades bem pertinho da casa deles. E que, caso eu queira, posso estudar em NYC tb pq é muito pertinho.
O schedule que ela me passou, pareceu bem tranquilo tb. Desliguei o Skype bem empolgada pq gostei bastante deles, mas depois fiquei pensando se consegui demonstrar toda essa empolgação. hahahahaha já que eu estava um pouco nervosa e não consegui esbanjar toda minha simpatia. (sim, eu sou simpática algumas vezes. hahahaha)

Bom, resumidamente foi isso gente! Vamos ver o que vira agora!

O nervosismo é normal, mas não se preocupem quanto a isso, não deixem que isso as impeça de falar. A família entende que você tá nervosa num primeiro contato, que sua língua nativa não é o inglês e sempre que não entenderem o que você está falando eles vão pedir pra repetir. Se a HF for impaciente com você logo em um primeiro contato, então já dispense logo de cara pq afinal, estamos indo pra improve our english né?


Ahhh, mais uma coisa, teve uma pergunta que a HM fez e eu não soube responder gente! Fiquei enrolando e acho que falei um monte de baboseira sem sentido. hahahaha Ela me perguntou quais são minhas expectativas em uma HF.


GENTE, COMO ASSIM?
Eu fiquei MEGA nervosa quando ela perguntou isso.
Eu não sabia MESMO o que responder.

Não esperava por essa pergunta e só soltei a coisa mais sem sentido que veio na minha cabeça naquele momento. hahahaha Enfim, saibam que as suas HF irão perguntar coisas que você nem sequer imagina nem em seus sonhos mais profundos. hahaha Parece uma pergunta simples, mas NÃO É! Na hora do nervosismo, como que você vai olhar pra cara da pessoa e dizer o que você espera dela?? Meo, tremi nas bases na hora viu!?


Esperem por mais novidades pq agora a coisa tá andando! hahahaha

See you!
Xoxo, Bela.